Logística Global e Macrologística

João Carlos Quaresma Dias

 

1ª Edição

Formato 17,7 x 24,5 cm

ISBN: 972-618-369-3

EAN: 9789726183693

Depósito legal: 225653/05

586 páginas

Ano de publicação: 2005

 

P.V.P.: 33,72 euros          

 

Logística Global e Macrologística aborda e discute a contribuição da logística como instrumento poderoso de simplificação dos projectos humanos de criação de valor, por absorção e dissipação da incerteza e da complexidade envolventes, para – com um consumo mínimo de recursos, no menor tempo possível, no momento e local certos e com a mais reduzida circulação de capitais possível – satisfazer clientes mais personalizados, mais exigentes e menos fiéis.

Em mercados cada vez mais competitivos, agressivos e turbulentos, em que a sobrevivência é sistematicamente posta à prova, sob a batuta da logística sistémica várias mudanças de paradigma estão em marcha no sentido de transformar organizações orientadas para produtos em organizações orientadas para clientes. Logística Global e Macrologística equaciona os novos desafios que se colocam aos actuais sistemas logísticos e aos do futuro para se chegar a práticas esclarecidas e maximizantes dos recursos envolvidos.

Como compatibilizar em Portugal a tradição com uma economia que só poderá sobreviver em nichos de mercado sofisticados, com produtos que incorporem muita inovação e alto valor acrescentado e em que a economia de gama e a diversificação, o just in time, a entrega porta-a-porta e a resposta pronta são condições essenciais para a conquista de novos clientes em novos mercados? Um livro onde por cada nova certeza irá encontrar dez pistas e diferentes tendências que os empresários e gestores não poderão evitar para encontrar respostas credíveis e capazes de conduzir ao êxito.

 

ÍNDICE

Prefácio; Introdução / PARTE I – ESTRATÉGIA, VALOR, SERVIÇO, QUALIDADE E COMPETITIVIDADE – O PARADIGMA DA GESTÃO LOGÍSTICA EM TEMPO DE INCERTEZA E COMPLEXIDADE: Capítulo 1 – O CONCEITO MULTIFACETADO DE LOGÍSTICA: Origens e evolução: A perspectiva militar e o enquadramento estratégico; Logística e abastecimento; Logística e distribuição física; A logística como função empresarial vertical; Logística sistémica; sistema integrado e integrador / A abrangência actual e a diversidade conceptual: Logística; ciência, modelo de gestão (e arte?); Logística enquanto modelo de gestão de fluxos; Logística enquanto processo de criação de valor; Logística e serviço; Logística e gestão de trade-offs; Logística e gestão de fluxos nos interfaces; Logística e estratégia / Economia e logística; faces de uma mesma moeda / Logística, incerteza e complexidade: Teoria da complexidade. Sistemas dinâmicos; Na orla do caos; Gestão da complexidade; função chave da logística; Nota final / Capítulo 2 – MODELOS CONCEPTUAIS, TERMINOLOGIA E ALAVANCAS DE INTEGRAÇÃO LOGÍSTICA: Os modelos de cadeia: A terminologia mecanicista; Cadeia versus fileira; A cadeia de valor; A cadeia de abastecimento (supply chain); Gestão logística e/ou cadeia de abastecimento? / Integração de funções, actividades e operações: Integração funcional de actividades; Logística e operações; O pipeline logístico e a cadeia logística; Logística de sistemas versus sistemas logísticos / Modelo da rede (network): A mudança de paradigma; da cadeia para a rede; Outsourcing versus insourcing; A gestão de rede a partir da estrutura empresarial interna; A rede (network) logística; O conceito de pirâmide de valor; Estados-nação versus paradigmas da transversalidade e da rede / Alavancas de integração logística: Novas tecnologias, SI/TI e comunicação; A importância da comunicação nos sistemas logísticos; Bits, átomos e genes / A globalização económica / Nota final / Capítulo 3 – A GESTÃO DA CADEIA DE ABASTECIMENTO (SCM): A compressão do tempo: Tempo «stockável»; O conceito de lead-time; O conceito de tempo de order fulfillment; O lead-time gap ou gap logístico; O ponto de desamarração ou penetração da procura (PPP); O JIT; O conceito da gestão lean na organização; Resposta rápida e reposição contínua (QR/CR) / Logística de entrada (inbound): O procurement; Inventário; Logística interna (intrabound) ou micrologística / Logística de saída (outbound): O postponement logístico; Redes integradas de modularização e postponement; Distribuição; O problema da última milha / Logística inversa / A gestão dos transportes: Os modos de transporte; Análise comparativa e situação modal em Portugal; A interconectividade modal; A rastreabilidade (tracing) / Os custos da distribuição / Avaliação de desempenho logístico: Índices de performance; Ferramentas de avaliação / A SCM e as novas exigências de security / Nota final / Capítulo 4 – A SOBREVIVÊNCIA DAS EMPRESAS; LOGÍSTICA, ESTRATÉGIA E COMPETITIVIDADE: A envolvente estratégica: O Conceito; Táctica e estratégia; os motores e as ferramentas; Logística estratégica e estratégia logística / Decisões estratégicas em logística: Estratégia de serviço a clientes; Estratégia dos canais de distribuição; Externalização/internalização; Utilização do postponement; Centralização/descentralização; Especialização/diversificação; Isolamento/colaboração; Estratégia e optimização dos sistemas logísticos; O stock como factor estratégico da logística / Serviço e valor acrescentado: A compra como selecção da cadeia de valor; Valor acrescentado e custo acrescentado / Sistemas logísticos e qualidade: A qualidade logística; O ciclo de melhoria contínua; A certificação de qualidade (ISO 9000); Qualidade do serviço e fidelização dos clientes; Os factores de excelência logística / A criação de valor; qualidade e serviço logístico: Estratégia competitiva; A vantagem competitiva; Os novos factores de competitividade / Acaso, oportunidade, Estado e competitividade: Acaso, oportunidade e inovação; O papel do Estado; O determinante da competitividade e a logística / Nota final / PARTE II – O CLIENTE/CONSUMIDOR NO CENTRO DAS ESTRATÉGIAS DE CRIAÇÃO DE VALOR E OS FENÓMENOS EMERGENTES DA GLOBALIZAÇÃO: Capítulo 5 – LOGÍSTICA, MARKETING E RELAÇÃO COM O CLIENTE: Marketing e logística / Mercado, cliente/consumidor e produto: Marketing e estratégia; O marketing operacional; Análise do mercado; O ponto de venda (POS) e o merchandising / O marketing relacional (one-to-one ou 121): O CRM (Customer Relationship Management); O CRM como fonte de vantagem competitiva / Logística e comércio electrónico: O e-business / Os movimentos colaborativos: Colaboração e integração logística; ECR (Efficient Consumer Response); CPFR (Collaborative Planning and Forecasting Replenishment) / Nota final / Capítulo 6 – LOGÍSTICA GLOBAL; ECONOMIA E GLOBALIZAÇÃO: A sociedade global: As alavancas da globalização; Estados-nação, supranacionalidades e cidades-estado; A guerra global / Logística e globalização / A configuração das redes logísticas globais / Localização/deslocalização / A modularização e o postponement / Orientação das redes logísticas em função das capacidades / A logística glocal / Metalogística e metacapitalismo / A indústria, o comércio e a terminologia logística / Nota final / PARTE III – INTEGRAÇÃO DA CIRCULAÇÃO FÍSICA NOS MODELOS CONCEPTUAIS DA GESTÃO LOGÍSTICA; MESOLOGÍSTICA E MACROLOGÍSTICA: Capítulo 7 – A MATERIALIZAÇÃO DA CADEIA DE VALOR: Revisão conceptual e novas perspectivas: Circulação física e cadeias logísticas; Sistemas de transportes e valor acrescentado / Macrologística, operações globais e metalogística: Os conceitos de macrologística e mesologística; Macrologística, logística global e operações globais; Logística global e metalogística; Futuro versus passado / A organização do comércio internacional / A mesologística europeia: A organização espacial; Distância média por tonelada de carga; As plataformas logísticas; Os modos mesologísticos; A Política Europeia Comum de Transportes (PCT); Portugal marítimo: que futuro? / Nota final / Capítulo 8 – INTEGRAÇÃO MACROLOGÍSTICA E DEEP SEA SHIPPING: O modo marítimo e a indústria do shipping: Os mercados e as actividades do shipping / Transporte marítimo de longa distância: As grandes regiões marítimas do globo; As grandes zonas portuárias mundiais; As grandes rotas mundiais / Principais desenvolvimentos no comércio marítimo e frota mercante mundiais: As alianças e os armadores globais; O registo de navios e o fenómeno de flagging out / O modo aéreo no transporte de mercadorias / Nota final / Capítulo 9 – OS PORTOS ENQUANTO PLATAFORMAS LOGÍSTICAS: A plataforma portuária: Infra-estruturas e super-estruturas; Super-estruturas portuárias / Gestão portuária: Quanto à estrutura accionista; Quanto à organização institucional; Quanto à relação público/privado; O caso português; O financiamento de infra-estruturas portuárias na UE; Política portuária e frentes ribeirinhas / Os valores da movimentação portuária: Movimentação de cargas pelos principais portos mundiais; Movimentação de carga pelos principais portos europeus; Movimentação de carga pelos portos nacionais / O que é um porto-plataforma / Nota final / Capítulo 10 – MODELOS DE INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO NAS CADEIAS MACROLOGÍSTICAS: Avaliação dos portos em função dos modelos de integração do TM: Classificação geracional dos portos; Hierarquia dos portos na rede; portos hub e feeder; Portos de transhipment; Os portos; elo e interfaces de cadeias logísticas / A integração do TM por meio da formação de bipolaridades logísticas: Os portos-plataforma e a teoria da formação de bipolos; Portos de hinterland; A movimentação de automóveis em Portugal; e a formação de bipolos; Validação do modelo conceptual; Outros exemplos nacionais de formações de bipolos logísticos / A integração do TM por meio de auto-estradas marítimas / O cliente do porto: factor de integração do TM: O que é o cliente de um porto; O caso português / A segurança como factor de integração do TM: O conceito integrado de segurança; Factores de risco do TM; A pernada marítima da cadeia macrologística; O código ISPS; Medidas mandatórias nos E.U.A. (não IMO); Medidas voluntárias; Sistema integrado / Nota final / Epílogo; Índice remissivo; Bibliografia.

 

|  Voltar à página anterior  |  Voltar ao ínicio da página  |